quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Flávio Dino está otimista com siderúrgica em Bacabeira, mas mantém cautela para não repetir erros do passado

O governador Flávio Dino participou do programa ‘Na Hora’, da FM 92,3, na tarde desta quinta-feira (21) e respondeu a uma série de perguntas de jornalistas e da população maranhense. Uma delas foi em relação ao interesse do Governo do Estado em instalar, no local onde seria a Refinaria Premium, em Bacabeira, um novo empreendimento do ramo siderúrgico em parceria com empresas internacionais.

Flávio Dino classificou a não concretização do empreendimento como “um enorme débito que o passado tem com as cidades de Bacabeira e Rosário”, porque foram muitas promessas frustradas e com danos gravíssimos, econômicos, morais e psicológicos às pessoas. De acordo com ele, “nós estamos evitando esse erro”, adotando uma postura de discrição, cautela: “Eu só anuncio as coisas quando elas são concretas”.

O Governo do Estado está, desde 2015, lutando para repor o prejuízo que foi causado por projetos fracassados do passado. Segundo o governador, uma das iniciativas que está mais avançada visa a instalação de uma empresa siderúrgica em Bacabeira. “Nós temos feito inúmeras tratativas, lideradas pelo vice-governador Carlos Brandão, viagens, visitas e caravanas à China, para reunião com os investidores, aqui mesmo no nosso estado eu já tive reuniões com a Vale, que é uma empresa que pode participar desse projeto também, e nós estamos confiantes”, explicou Flávio Dino.

O governador informou ainda que todos os projetos já foram assinados, inclusive muito recentemente Carlos Brandão esteve na China, quando da visita do presidente Michel Temer, para assinatura de documentos entre o governo brasileiro e o governo chinês, “para que esta empresa, chamada CBSteel, tenha o apoio governamental chinês necessário para que se implante”. 

“Então, nós estamos nesta fase. Confiantes, otimistas, mas esperando que as coisas de fato se concretizem para a gente poder fazer a festa. A gente não pode fazer a festa antes da hora porque o povo de Bacabeira merece respeito. E eu não vou cometer a mesma artimanha que foi usada no passado de anunciar uma coisa que depois não dá certo. Mas estou otimista e animado. Se Deus quiser vai dar tudo certo”, completou Flávio Dino.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

17 Sinais de que Você Nunca vai ter Dinheiro na sua Vida

Sabe aquela sensação maravilhosa de estar com as contas em dia, saber que sua grana está bem investida e ainda ter o suficiente na mão para uma bela viagem de férias (ou para aquele projeto que não sai da sua cabeça)?
Existem várias maneiras de garantir que isso nunca aconteça. Eis algumas das principais estratégias para passar a vida inteira contando migalhas.

1. Sua única fonte de renda é seu salário ou o que você ganha como profissional autônomo.

Esse é um dos principais. Você trabalha, recebe uma grana e usa essa grana para viver. Todo mês. O problema é que virou normal viver assim, no automático, mês a mês. Aí você se convence de que, se todo mundo faz isso, então tá tudo certo.

2. Você acha que empreender ou investir dinheiro são algo arriscado.

Dizem que empreender é arriscado, mas não há risco maior que depositar o controle da vida financeira da sua família nas mãos do seu chefe ou diretor, das políticas trabalhistas imprevisíveis da empresa ou de uma carteira flutuante de clientes. O mais arriscado é seguir dependendo de emprego em um mundo que está mudando completamente. No fundo, o que é arriscado não é empreender ou investir, mas fazer um ou outro sem conhecimento e planejamento suficientes.

3. Você caiu no conto da felicidade pelo consumo.

Criou o hábito de trocar dinheiro por bem-estar? Ora, de que adianta ter grana se não for para comer em restaurantes bacanas, torrar em baladas iradas (agregando valor ao camarote), trocar de carro, comprar uma casa maior, viajar para o exterior ou adquirir o último modelo de iPhone, não é? Precisar ostentar símbolos de riqueza material ou comprar coisas para aplacar a angústia existencial, a insegurança ou a ansiedade são caminhos seguros... para a ruína financeira.

4. Você está atolado(a) em dívidas.

Bom, esse eu nem preciso comentar. Juros de cheque especial e de cartão de crédito são a porta do inferno. É por isso que os principais bancos quebram recordes de lucratividade ano a ano. E você não.

5. Você gasta tudo o que ganha.

Aí um dia você recebe uma promoção. Ou conquista mais alguns clientes. Naturalmente, seu padrão de vida também sobe. Não vai mais almoçar no Burger King; agora é Outback. Nada de Praia Grande: agora é Maresias! Ou Leblon. Ou Ibiza. Afinal, a vida é curta. (E o dinheiro, pelo jeito, também será).

6. Você confunde ricos de verdade com novos ricos.

Novos ricos são ex-classe média com dinheiro. Deslumbrados, têm o hábito de postar regularmente nas redes sociais fotos de pratos de comida, do carro novo ou de destinos de turismo de gosto duvidoso. Ricos de verdade são discretos, preferem a sobriedade à ostentação. Conhecem o jogo do dinheiro, suas armadilhas e ilusões. (Sim, em ambos os casos, há exceções).

7. Você se enche de bens que obrigam você a trabalhar cada vez mais - para sustentá-los.

No Oriente, dizem que não é você que possui seus bens; são eles que possuem você. Daí os movimentos de minimalistas e as diferentes tendências de simplificar e desacelerar a vida. Se você tem menos bens, sobra mais espaço e energia para você dedicar ao que realmente importa.

8. Você não tem familiaridade com a dinâmica dos juros compostos e dos ativos financeiros.

Não, isso não é coisa de economista. É algo que todos nós deveríamos aprender na escola - algo muito mais prático e importante que a Fórmula de Bhaskara. Ao contrário de seus bens passivos (que tiram dinheiro do seu bolso, mês a mês), juros compostos e ativos financeiros fazem seu dinheiro trabalhar por você - mesmo quando você estiver dormindo. Seu dinheiro precisa estar a serviço do tipo de vida que você quer viver, e não o contrário: uma vida toda engessada por tudo o que você faz para ganhar dinheiro.

9. Você troca tempo por dinheiro.

Tempo é seu ativo mais escasso. Tem um limite de quanto você consegue trabalhar. Trabalhar demais deixa você exausto, doente, ou pode até te matar. Fora que a vida fica uma merda. Então chega um ponto em que, se você é assalariado ou autônomo, não tem mais como ampliar a renda se continuar simplesmente trocando tempo por dinheiro. Precisa encontrar um outro jeito para ter mais tempo e, mesmo assim, ampliar sua renda.

10. Você não dedica seu tempo, seus recursos e seus talentos para administrar seu patrimônio e gerar múltiplas fontes de renda.

Não tem milagre. Para fugir de viver na penúria, você precisa entender como funciona o jogo do dinheiro e aperfeiçoar sua forma de jogar. Entre uma viagem de cruzeiro (passivo) e investir em um pequeno imóvel para você alugar e completar seu orçamento mensal (ativo), por exemplo, o que lhe parece mais atraente?

11. Você acha a gerente do banco simpática.

Não, não, não. Ela é representante de uma instituição que vai te sugar até a medula se você deixar. Os produtos financeiros dos bancos de varejo não são investimentos de verdade. São para crentes e ignorantes. Poupança, CDBs, Letras, Títulos, Fundos, Seguros, Planos de Previdência Privada e Capitalização que você contrata nas agências de bancos como Itaú, Bradesco, Santander, Caixa e Banco do Brasil, por exemplo, escondem 'pegadinhas' e taxas escandalosas, que tornam esses "investimentos" um excelente negócio. Para o banco, é claro.

12. Você não investe em si mesmo(a).

Livros, cursos, retiros, processos de coaching, mentoria, consultoria e terapia são caros e tomam muito tempo. É verdade. O problema é que a alternativa - a ignorância - é muito pior. A ignorância te faz dependente do salário, do patrão, do gerente do banco, do cliente, do professor, do político, do mercado, da crise, da TV Globo, do governo. De todos os investimentos, o de maior retorno é investir em ampliar, cada vez mais, sua competência para a ação consciente e consistente.

13. Você vive uma vida de manada.

Tem medo de fazer diferente de todo mundo. Aceita dicas de investimento de vizinhos e familiares que nunca tiveram um puto na vida. Fica babando na propaganda da televisão. Vai e volta do trampo no mesmo horário que todo mundo, aí fica preso(a) no trânsito. Viaja só nos finais de semana, férias e feriados, quando é tudo muito mais caro, porque quem manda no seu calendário são seu emprego e a escola das crianças. Não faz planejamento e compra tudo de última hora.

14. Você bota a culpa no Petê.

Ou no Temer. Ou no Trump. É gostoso, porque aí você vira uma pobre vítima das circunstâncias e se exime de qualquer responsabilidade. Pode passar a vida reclamando com os amigos na mesa do bar, ao invés de encarar o cagaço e tolerar a frustração de pensar, estudar, planejar e executar a partir do que está efetivamente a seu alcance.

15. Você acredita que quem é rico deu sorte na vida, é fútil, materialista ou desonesto.

Você está programando seu mundo interno, sua energia e linguagem não-verbal para repelir dinheiro. Afinal, se você realmente acredita que ricos são pessoas más ou superficiais, cercadas de bajuladores, não é isso que você quer para você, não é? Desprezar ou invejar os ricos são formas de se manter prisioneiro(a) de uma paisagem de escassez.

16. Você acredita que dinheiro é sujo.

Talvez você tenha levado um grito, quando era criança, porque pegou em dinheiro e depois colocou a mão na boca. De fato, cédulas e moedas carregam micro-organismos que podem te contaminar. Mas moedas e notas não são dinheiro; são apenas duas de suas possíveis formas materiais. Já pensou nisso? Hoje em dia, na verdade, pouquíssimas transações são feitas com 'dinheiro vivo'. O dinheiro, em si, vai muito além das notas e moedas e mesmo dos bitcoins ou algarismos nos computadores de sistemas bancários. Dinheiro é uma energia de troca e materialização, que organiza relações. Então, ainda que a falta ou o excesso de dinheiro possa corromper, o dinheiro, em si, não é nem sujo nem limpo. A sujeira, neste caso, está nos olhos de quem vê.

17. Você ainda não se deu conta de que o mercado de trabalho vai mudar mais nos próximos 10 anos do que mudou nos últimos séculos.

Em um cenário de inteligência artificial, machine learning e automatização exponenciais, empregos deverão desaparecer. A realidade emergente convida cada um de nós a se reinventar. E, sobretudo, a desenvolver a capacidade de 'se virar' diante de circunstâncias sempre cambiantes. Algo que, definitivamente, não se aprende na escola. Então, uma boa forma de se condenar a viver sem grana é fechar os olhos e continuar fazendo as coisas como você sempre fez.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Governo amplia assistência no sul do Maranhão com entrega do Hospital Regional de Balsas

O sul do Maranhão ganhará reforço na assistência à saúde com entrega do Hospital Regional de Balsas. A unidade de saúde será inaugurada na próxima quarta-feira (20) e será referência no atendimento de procedimentos de média e alta complexidade, gestação de alto risco e risco habitual, pediatria e cirurgia geral. O hospital garantirá, por meio do trabalho da Secretaria de Estado da Saúde (SES), assistência a uma população estimada em 246 mil habitantes.   

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, destacou a importância do investimento na unidade de saúde. “Estamos muito felizes por entregar mais esse hospital regional ao povo maranhense. A conclusão dessa obra reflete o compromisso do governador Flávio Dino em oferecer condições melhores de saúde à população. Com o trabalho de outros cinco hospitais regionais entregues por esta gestão, temos avançado no processo de reorganização da rede de saúde no estado, ampliando o acesso dos maranhenses ao atendimento especializado”, disse.     

O Governo do Estado investiu R$ 3.322.225,31 na conclusão da obra do hospital. A previsão é de que a unidade de saúde ultrapasse a meta de 13,9 mil procedimentos mensais. O dado inclui desde cirurgias gerais e obstétricas até os exames de apoio diagnóstico e terapia. No hospital, os recém-nascidos contarão com os Testes da Orelhinha, Pezinho e Coraçãozinho. Por meio desses procedimentos, é possível detectar de forma precoce qualquer doença ou alteração genética que possa prejudicar o desenvolvimento do bebê.

A unidade de saúde possui 4.000m² e 50 leitos disponíveis, com 10 leitos de UTI Adulto, 6 de Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional e 4 de Unidade de Cuidado Intermediário Neontal Canguru. A unidade ofertará atendimento nas especialidades de clínica médica, ginecologia, obstetrícia, cirurgia geral e pediatria, além de exames laboratoriais e diagnósticos em oftalmologia e cardiologia; e serviços de diagnóstico por imagem como ultrassonografia, mamografia, exames de radiologia, tomografia e endoscopia.

A secretária adjunta de Assistência à Saúde da SES, Carmen Belfort, enfatizou que o hospital regional de Balsas suprirá uma carência por atendimento na região. “A região sul do estado apresenta um vazio assistencial histórico que faz com que os cidadãos precisem percorrer grandes distâncias para receber atendimento. O Hospital Regional de Balsas fortalece a rede de saúde no sul do Maranhão, favorecendo o acesso dos cidadãos ao tratamento especializado”, explicou.

O Hospital Regional de Balsas será referência para, pelo menos, 14 municípios da regional de saúde formada por Balsas, Alto Parnaíba, Carolina, Feira Nova do Maranhão, Formosa da Serra Negra, Fortaleza dos Nogueiras, Loreto, Nova Colinas, Riachão, Sambaíba, São Félix de Balsas, São Pedro dos Crentes, São Raimundo das Mangabeiras e Tasso Fragoso.

O gestor da Regional de Saúde de Balsas, Eliabe Aguiar, confirmou que a unidade de saúde beneficiará a população de toda a região. “Temos o hospital como a realização de um sonho e não só a entrega de uma obra. Há um vazio assistencial no sul desde quando o Maranhão existe e agora ganharemos uma assistência hospital com ambulatório, clínica médica, obstetrícia e pediatria. Éramos um povo esquecido, mas temos avançado muito, especialmente na área da saúde, na gestão do governador Flávio Dino”, afirmou o gestor.

Mais Asfalto

O município de Balsas também será beneficiado com a entrega de cerca de 25 ruas requalificadas por meio do programa Mais Asfalto. Obras em bairros como São Felix, Trizidela, Potos, Vivenda dos Potos, Manuel Novo, Açucena, Catumbi, Cohabi I e Centro serão entregues pelo governador Flávio Dino a partir das 11h30.  

Em sua segunda fase, o Mais Asfalto beneficia 100 cidades em todo o Maranhão, por meio de investimentos de R$ 170 milhões do Governo do Estado.

O programa já restaurou 1.300 quilômetros de vias desde 2015. Agora, a prioridade são cidades que ainda não receberam pavimentação e as mais populosas, onde a demanda por serviços de infraestrutura é maior.


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

TRAGÉDIA EM GRAJAÚ:vigilante atira no seu companheiro de serviço dentro da Caixa Econômica em Grajaú


A policia ainda tenta entender através de investigações, o que levou um vigilante da Caixa Econômica em Grajaú, atirar no seu companheiro de serviço na tarde desta segunda-feira (18) na localidade Vila Tucum no setor Canoeiro.
De acordo com informações da policia um dos vigilantes se chama João Paulo morador do bairro Vilinha, o outro chama-se Eraldo conhecido como “Bigobal” que você ver na foto. Segundo a policia o jovem João Paulo teria sido o autor dos disparos em Eraldo, ainda de acordo com informações João Paulo vinha passando por alguns problemas depressivos.
Um blog da capital se antecipou na informação e noticiou a morte dos dois, mas as informações policiais e do próprio HGG (Hospital Geral de Grajaú), declarou que nenhum dos dois morreram e que ainda estão nesta noite de segunda-feira internados na sala vermelha. Mais informações sobre o fato em breve no decorrer dos anúncios.

fonte:de olho em grajaú